sábado, 21 de janeiro de 2017

Documentário para O Guriatã


 A comunidade do Maracanã estará em festa neste final de semana para a gravação do documentário O Guriatã, em homenagem ao cantador Humberto Barbosa Mendes, o Humberto de Maracanã. A finalização do documentário coincide com a semana em que Humberto completa dois anos de falecimento (19 de janeiro) e está sendo realizada desde ontem com conclusão para hoje (sábado), às 20h, na sede do Boi.
Figura marcante na história do grupo folclórico, Humberto terá sua trajetória retratada em audiovisual por meio do edital Rumos Itaú Cultural. Uma equipe de São Paulo, composta por 8 pessoas da produtora Maracá Produções, está em São Luís para captar as últimas imagens que comporão o DVD durante as duas apresentações especiais do Batalhão de Ouro. A direção é de Renata Amaral e a produção de André Magalhães.
Essa será a última fase de gravação do documentário. Tudo está sendo preparado para os dois dias de gravações com o cuidado e a paixão que merece a memória de Humberto, personalidade da cultura popular que dedicou sua vida ao bumba meu boi, incentivando e contribuindo para que novas gerações compreendessem a importância do folclore para a vida de uma comunidade.
“A gente quer fazer esse documentário especial em nome da memória de Humberto, nos colocar à disposição para perpetuar toda a trajetória dele e a importância que ele teve e continua tendo para a cultura maranhense. Serão dois dias de apresentação, é como se fizéssemos mesmo uma festa”, comenta Maria José Soares, presidente do Boi de Maracanã e viúva de Humberto.
 Anteriormente já haviam sido gravadas cenas com Humberto na cantoria em suas apresentações. O material será montado também com imagens captadas nos festejos juninos do  ano passado, durante as apresentações do boi nos diversos arraiais da capital maranhense.
Segundo Maria José, o documentário terá ainda depoimentos dos chamados Amigos da Velha Guarda do Boi de Maracanã, pessoas próximas ao cantador, além de  passagens com a participação de outros cantadores do boi, como Humberto Filho, Ribinha de Maracanã e Tetêco. “Os depoimentos foram gravados, por exemplo, com Lourenço Barbosa, Malvino Maia, Vitor Santos, Pedro Paulo Marins e Zé Mário”, contou Maria José Soares.
O documentário além de eternizar a vida e obra de Humberto, acaba sendo um presente para a comunidade do Maracanã, brincantes e simpatizantes, que sempre tiveram seu local, beleza, cultura e paisagens exaltadas nos versos e rimas do cantador, assim, claro, como o Maranhão como um todo. Basta lembrar de toadas como Maranhão, meu tesouro, meu torrão; Maracanã mostrou a cara, Desperta Maracanã, entre outras.
“Humberto deu tudo de si para esse grupo folclórico. Acho merecida essa homenagem, sendo esta uma maneira de guardamos uma preciosidade sobre sua história, para que os futuros brincantes conheçam o legado que ele deixou. É uma maneira de não deixarmos a tradição morrer”, pontua Maria José Soares.
 Depois de finalizado, a próxima etapa é a prensagem. O lançamento está previsto para junho.
Mas enquanto junho não chega, o grupo vai tocando os projetos na sede do grupo folclórico, como por exemplo, as oficinas de bordado de indumentárias para o São João deste ano. “É tradição confeccionarmos novas indumentárias anualmente, pois primamos pela plástica do espetáculo. O Boi de Maracanã é um projeto secular que demonstra o amor de uma comunidade pela cultura maranhense. As pessoas que saem ou acompanham o grupo, seja no dia a dia ou nos terreiros juninos, fazem porque gostam das toadas, da dança e de tudo que envolve a nossa tradição”, disse a presidente.



Nenhum comentário:

Postar um comentário