sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Carnaval do Sesi


O Serviço Social da Indústria (SESI) – uma das entidades do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA) – promove neste ano, mais uma vez, duas festas de Carnaval para animar os foliões de todas as idades em São Luís.

A primeira festa da programação momesca será destinada às crianças com o bailinho de carnaval do SESI que ocorre no próximo sábado, 27 de janeiro, às 17h, no SESI Araçagi, com a banda Vagalume. Os ingressos custam R$ 10,00 (criança até 7 anos não paga).

Já o tradicional baile de carnaval do SESI será no dia 10 de fevereiro, sábado de folia, também no SESI Araçagi, a partir das 17h, com animação das bandas Jegue Folia e Mixiricu.

Estudantes e idosos pagam meia-entrada e industriários não pagam, mediante confirmação. Acompanhantes de industriário pagam R$ 5,00. Para a comunidade, os ingressos da festa custam R$ 10,00.

Mais informações: (98) 3248-1969.

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Museu do Reggae no Centro Histórico de São Luís

O primeiro museu temático de reggae fora da Jamaica abre suas portas nesta quinta-feira (18), a partir das 18h, no Centro Histórico de São Luís. A nova casa de cultura é a realização de um sonho antigo dos regueiros, através da  iniciativa do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Cultura e Turismo (Sectur).

O Museu do Reggae Maranhão tem como objetivo materializar as memórias do ritmo jamaicano que conquistou o Maranhão. Na inauguração haverá um show que reunirá a história viva desse movimento. Cantores, radiola e DJs históricos se apresentarão no palco da Praça do Reggae, logradouro situado ao lado do Museu.

Na programação haverá a radiola FM Natty Naifson, como os DJs Neturbo, Ademar Danilo, Maestro Jaílder, Carlinhos Tijolada, Roberthanko e outros, além de shows com Célia Sampaio, Oberdan Oliveira (Nonato e Seu Conjunto), Tadeu de Obatalá ( Banda Guetos), Mano Borges & Celso Reis, Garcia (banda Reprise) e vários outros também.

Após o descerramento da placa de inauguração, o público poderá conhecer os cinco ambientes do Museu do Reggae Maranhão. Um dos ambientes será a sala dos Imortais, destinado aos grandes nomes do reggae maranhense que já morreram. Os outros quatro espaços homenagearão tradicionais clubes de reggae  da cidade: Clube Pop Som , Clube Toque de Amor, Clube União do BF e Clube Espaço Aberto.

O ambiente contará com relíquias do reggae, como é o caso de uma guitarra da banda maranhense Tribo de Jah, instrumento que acompanhou a banda por mais de 20 países e fez parte da história do grupo, além de ter sido usada nas primeiras gravações de suas canções e em grandes shows nacionais e internacionais.

Outra joia que poderá ser encontrada no Museu do Reggae Maranhão, é a radiola “Voz  de Ouro Canarinho”, de Edmilson Tomé da Costa conhecido como Serralheiro, um dos pioneiros do reggae no Maranhão, e disseminador do gênero musical nos anos de 1970.

O público poderá ter contato com discos raros, vídeos e fotos históricas, moda Reggae ao longo do tempo, além de depoimentos gravados com personagens da cena reggae, livros, artigos, teses e dissertações compõem o acervo imaterial e digitalizado do museu.

O Museu do Reggae Maranhão permitirá que seus frequentadores sejam transportados para uma festa em um clube de reggae em um de seus ambientes, além de despertar a paixão pelo ritmo que denomina São Luís como a Jamaica brasileira, já que a cidade é considerada o maior polo de cultura reggae fora da Jamaica.

Serviço:
O QUÊ? Inauguração do Museu do Reggae do Maranhão;
QUANDO? Nesta quinta-feira (18), às 18h;
ONDE? Na Rua da Estrela, Centro Histórico de São Luís.

Música para afogamentos




É possível ler poeticamente o cotidiano?
Esta foi a premissa do escritor Arnaldo Vieira em Música para afogamentos, seu livro de estreia, que será lançado nesta quinta-feira, dia 18, às 19h no Espaço AMEI (Shopping São Luís).
Os 32 poemas de Música para afogamentos são passagens curtas sobre temas aparentemente corriqueiros, que ganham um enlevo poético na visão do autor: um velório, a janela de um ônibus, observações sobre leituras, Arnaldo Vieira transita com uma voz direta entre referências canônicas e elementos da cultura pop, como em Galeto:
“Eu te assistindo assistir,
testa franzida, biquinho contrariado.
Emoção nos olhos – cheios de vida
e ficção.”

O livro é um lançamento da Pitomba! Livros e discos, o primeiro de 2018.

Projeto gráficoMúsica para afogamentos tem projeto de capa e miolo feitos por Bruno Azevêdo, que usou imagens de um livro de biologia de 1558, quando a ciência ainda acreditava em monstros marinhos. São esses monstros que se emaranham aos poemas.

Arnaldo Vieira, 31, é bacharel em direito, advogado e professor. Por anos manteve o blog Eu e as reticências. Parte dos poemas de Música para afogamentos vem de lá.


Tang

Nuvem Godzilla cobre
o sol tangerina
que se dissolve
em um litro de céu.
Todo pôr-do-sol tenta imitar
a primeira noite.
A boniteza reside nos erros.
“Jaime, o menino quer mais”.

Música para Afogamentos
Arnaldo Vieira
81 p, formato 14x20cm
R$ 25,00
  
SERVIÇO
18 de janeiro, quinta-feira
Espaço AMEI




Bloco da Imprensa promove segunda concentração

Com tema “Questão de Gênero, Número e Grau”, o Cordão Carnavalesco dos Profissionais da Imprensa promove no próximo sábado (20), a partir das 17h, na Praça dos Catraieiros, situado na Praia Grande, no Centro Histórico de São Luís, a sua segunda concentração. A animação ficará a cargo do Tambor de Crioula de Mestre Felipe, Grupo de Pagode Feijoada Completa, Bloco Tradicional Os Foliões, Show de Carnaval da Mega Banda, Bateria da Favela do Samba, Show do Marco Duailibe e a Banda do Jegue Folia.
 
Considerado uma das tradições na capital, o Bloco da Imprensa continua apresentando ao público a rica diversidade cultural do carnaval, com marchas de carnaval, sambas enredos, pagode e sambas temas de blocos tradicionais. O cordão carnavalesco da comunicação chega a sua 20ª edição, e há dez anos concentra na área da Praia Grande.
 o tema “Questão de Gênero, Número e Grau”.
 
Baile da Imprensa
A comunidade da imprensa realizará neste ano mais uma edição do seu já conhecido “Baile da Imprensa”. Neste ano, a festa carnavalesca será realizada no próximo dia 02 de fevereiro.
O baile que também reúne a comunidade em geral adepta ao tradicional carnaval irá ocorrer a partir das 19h na Casa do Maranhão, localizado na área central de São Luís.
 
SERVIÇO:
O QUE ? 2ª Concentração do Bloco da Imprensa – 2018
QUANDO? Sábado, dia 20 de janeiro
ONDE? Em frente ao Bar do Porto – Praia Grande – Centro Histórico
HORÁRIO? A partir das 17h
ATRAÇÕES: Tambor de Crioula de Mestre Felipe, Grupo de Pagode Feijoada Completa, Bloco Tradicional Os Foliões, Show de Carnaval da Mega Banda, Bateria da Favela do Samba, Show do Marco Duailibe e a Banda do Jegue Folia.

Blocos tradicionais têm ordem de desfile definida na Passarela do Samba

 Faltando 25 dias para sexta-feira gorda de carnaval, quando acontece o desfile dos Blocos Tradicionais do Grupo B, e  as preparações para a festa momesca continuam a todo vapor.
E uma comissão formada pela Prefeitura de São Luís por meio da Secretaria Municipal de Cultura (Secult), Conselho Municipal de Cultura (Comcult), Associação Maranhense de Blocos Carnavalescos (AMBC) e Academia de Blocos Tradicionais do Estado do Maranhão (Abtema), realizou o sorteio da ordem de apresentação dos blocos tradicionais dos Grupos "A" e "B" para os desfiles do Concurso de Passarela do Carnaval 2018.
 
Os Blocos Tradicionais Fênix, Os Curingas e Kambalacho do Ritmo, que subiram do grupo "B" para o grupo "A" em 2017, abrem os desfiles do Carnaval de 2018. Os demais blocos entraram no sorteio.
 
ORDEM DE SORTEIO BLOCO TRADICIONAL GRUPO "B"
 
1 Boêmios do Ritmos (Não concorre)
2. Os Diferenciados da Renascer
3. Os Imbatíveis
4. Os Tradicionais do Ritmo
5. Alegria do Ritmo
6. Os Diplomáticos
7. Os Gladiadores
8. Vinagreira Show
9. Os Guardiões
10. Companhia do Ritmo
11. Os Vingadores
12. Renovação do Ritmo
13. Príncipe da Meia Noite
14. Os Inacreditáveis
15. Dragões da Liberdade
16. Os Guerreiros do Ritmo
17. Gaviões do Ritmo
18. Os Baratas
 
ORDEM DE SORTEIO BLOCO TRADICIONAL GRUPO "A"
1. APAE (Não concorre)
2. Os Fênix
3. Os Curingas
4. Kambalacho do Ritmo
5. Os Especialista do Ritmo
6. Reis da Liberdade
7. Príncipe de Roma
8. Originais do Ritmo
9. Os Foliões
10. Tropicais do Ritmo
11. Os Vigaristas
12. Os Trapalhões
13. Os Tremendões
14. Os Brasinhas
15. Os Apaixonados
16. Os Feras
17. Os Vampiros

Exposição Resumo no Palacete Gentil Braga

A artista visual Marlene Barros está com a exposição ‘Resumo’ na Galeria Antônio Almeida do Palacete Gentil Braga (rua Grande, 782-Centro), em São Luís (MA).

A mostra possui 15 esculturas, 15 telas e instalações que mostram como a artista sempre trabalhou o volume na escultura e na pintura, onde o gesto deixa transparecer uma tridimensionalidade quase lírica, mas sempre muito orgânica. “O gesto que encontramos na pintura está da mesma forma presente na escultura, onde o corpo humano é percebido na essência da obra, o que torna sua produção muito especial”, disse a artista.

'Resumo’ ficará aberta para visitação pública até 31 de janeiro, das 9h às 12h e das 14h às 17h30.

Sobre ‘Resumo’
Para conseguir extrair novos olhares e significados sobre a sua obra, a artista reúne pela primeira vez pinturas e esculturas na mesma exposição. A mostra ‘Resumo’ é fruto do trabalho que vem sendo desenvolvido nos últimos anos, com o tema recorrente sobre as questões do feminino, abordado de forma lírica, mas por vezes também agressivas, com o intuito de causar estranhamento no observador diante obra, levando-o assim a uma reflexão sobre algumas questões abordadas nos trabalhos, que falam de sentimentos de questões que são inerentes ao ser humano, principalmente ao ser mulher e a representação do corpo feminino e suas formas, que sempre fascinaram a artista, que as vezes o representa em padrões inatingíveis, falsos, dúbios, só para instigar o olhar, provocar questões, comentar a vida em sua grandeza, em seu potencial de estranhamentos e banalidades, deixando a sua arte flutuar entre as questões sociais e as relações entre as pessoas, principalmente a complexidade que envolve os relacionamentos, se preocupando particularmente pela figura da mulher, que até os dias de hoje ainda é tratada como um ser de menor potencial perante a sociedade, fato que a toca profundamente.

Galeria Trapiche recebe duas exposições nesta sexta-feira (19)

Um dos trabalhos de Dan Frei que estará exposto na Galeria TrapicheEquipamento cultual da Prefeitura de São Luís, a Galeria Trapiche abre o ciclo de exposições de 2018 nesta sexta-feira (19), às 19h, com duas mostras simultâneas, resultado da Chamada Pública Nacional de Ocupação Artística, lançada no ano passado. 'Prelúdio das Certezas: a linearidade das indiferenças', de Dan Frei, e 'Inspiração', de Patrícia Menezes, ficam abertas para visitação até 19 de fevereiro, de segunda a sexta-feira, das 14h às 19h. A Galeria Trapiche fica localizada na Avenida Vitorino Freire, em frente ao Terminal de Integração da Praia Grande.
"Esta é a sexta e última edição da Ocupação Trapiche, que selecionou 12 trabalhos e atraiu a participação de artistas de todo o país com interesse em expor em qualquer categoria do campo das artes visuais. Esta mostra apresenta duas exposições do trabalho individual de linguagem de cada artista, cada um com sua história e técnicas diferentes", destacou Camila Grimaldi, diretora da Galeria Trapiche Santo Ângelo.
Segundo a diretora, o principal objetivo da Ocupação foi atender à política cultural municipal que incentiva o fomento às artes visuais por meio de atividades de circulação de obras e intercâmbio do trabalho de artistas de diferentes regiões. "No ano passado, conseguimos expor 10 trabalhos de janeiro a dezembro. Algumas aconteceram simultaneamente para preencher todo nosso espaço. O nome Ocupação foi para estimular na população a vontade de também propor novos formatos e ideias de exposição para a galeria", completou.
Para selecionar os trabalhos da Chamada Pública Nacional de Ocupação Artística foram avaliadas a criatividade, originalidade, contemporaneidade e qualidade técnica de cada proposta, bem como adequação da proposta às instalações da Galeria Trapiche, o estímulo ao conhecimento, a valorização da pluralidade social e cultural e o currículo artístico do proponente.
EXPOSIÇÕES
Em 'Prelúdio das Certezas: a linearidade das indiferenças', de Dan Frei, são retratadas as divergências sociais e o cotidiano sob uma ótica surrealista, apresentando situações de adversidade, envolvimento e contrastes, sem deixar de transmitir o lado poético. A mostra é composta por 17 obras, confeccionadas com a técnica de grafite sobre o papel, carvão e objetos modelados em argila, o que contribui para uma visão tridimensional das experiências retratadas.
Além disso, cenários e referências de São Luís são usados como ponto de partida, relacionando a distinção entre o conservador e o contemporâneo. A mostra propõe ainda a discussão sobre as relações de trabalho e outras formas de sobrevivência na cidade.
Já em 'Inspiração', de Patrícia Menezes, cores, formas e elementos compõem a exposição com imagens abstratas, indefinidas e figurativas. Entre tintas e pincéis, a artista plástica trabalha pintura sobre telas levantando questionamentos sobre sonhos, desejos, persistência e outras indagações que a movem.
A exposição conta com 20 obras de autoria de Patrícia Menezes e dos alunos do Centro de Criações Artísticas (Criart). Na entrada da galeria, um grande painel grafitado pelo artista Edi Bruzaca ilustra o caráter de vanguarda da proposta Ocupação.